TARDE EM ITAPOÃ Vinicius de Moraes Gm7 C7(9) Gm7 Gm7/F Em7(b5) Um velho calção de banho o dia prá vadiar A7(b13) Dm7 G7(13) Cm7 Cm/Bb Am7(b5) D7(b9) um mar que não tem tamanho um arco-íris no ar. Gm7 C7(9) Gm7 Gm/F Em7(b5) A7(b13) Depois na praça Caymi sentir preguiça no corpo Dm7 G7(13) Cm7 Cm/Bb Am7(b5) e numa esteira de vime beber uma água de côco. D7(b9) G6 Am7 Bm7 Am7 Bb7M É bom... passar uma tarde em Itapoã ao sol que arde em Itapoã Eb7(9) Am7 D7(9) Gm7 C7(9) Gm7 C7(9) Gm7 ouvindo o mar de Itapoã falar de amor em Itapoã. Gm7 C7(9) Gm7 Gm7/F Em7(b5) A7(b13) Enquanto o mar inaugura um verde novinho em folha Dm7 G7(13) Cm7 Cm/Bb Am7(b5) D7(b9) argumentar com doçura com uma cachaça de rolha. Gm7 C7(9) Gm7 Gm7/F Em7(b5) A7(b13) E com o olhar esquecido no encontro de céu e mar Dm7 G7(13) Cm7 Cm/Bb Am7(b5) D7(b9) bem devagar ir sentindo a terra toda rodar. G6 Am7 Bm7 Am7 Bb7M É bom... passar uma tarde em Itapoã ao sol que arde em Itapoã Eb7(9) Am7 D7(9) Gm7 C7(9) Gm7 C7(9) Gm7 ouvindo o mar de Itapoã falar de amor em Itapoã. Gm7 C7/9 Gm7 Gm7/F Em7(b5) A7(b13) Depois sentir o arrepio do vento que a noite traz Dm7 G7(13) Cm7 Cm/Bb Am7(b5) D7(b9) e o diz-que-diz que macio que brota dos coqueirais. Gm7 C7/9 Gm7 Gm7/F Em7(b5) A7(b13) E nos espaços serenos sem ontem nem amanhã Dm7 G7(13) Cm7 Cm/Bb Am7(b5) D7(b9) dormir nos braços morenos da lua de Itapoã. G6 É bom...

AnteriorAnterior|ProximaProxima